Fiocruz Fale com a Fiocruz Fundação Oswaldo Cruz
CCFF • Coleção de Culturas de Fungos Filamentosos

Serviços

A Coleção de Culturas de Fungos Filamentosos (CCFF) presta diversos serviços tais como: fornecimento de culturas vivas ou fixadas em lâmina; depósito; caracterização taxonômica de diferentes grupos de fungos, de modo a possibilitar autenticações e identificações; coleta e isolamento de amostras; consultorias com ou sem visitas técnicas e treinamento de recursos humanos. Os serviços prestados pela CCFF são gratuitos.

O contato deverá ser feito exclusivamente através do e-mail institucional do solicitante. As solicitações de serviços devem ser preenchidas criteriosamente, assinadas pelo profissional responsável, digitalizadas e enviadas para .

Todas as solicitações serão submetidas a uma análise crítica prévia pela curadoria da CCFF para verificação de seu conteúdo, enquadramento no escopo do acervo e da demanda da coleção, para posterior autorização da solicitação e o envio de orientações referentes ao serviço solicitado.

Em relação aos serviços que demandam envio de amostras à coleção, ressaltamos a necessidade do envio de e-mail, com antecedência, avisando quando as amostras serão encaminhadas. Amostras encaminhadas sem comunicação prévia não poderão ser recebidas pela CCFF.

Informamos que o envio de formulários de solicitação de serviços deverá ocorrer até 30/11 do ano vigente.

AUTENTICAÇÃO E DEPÓSITO DE MATERIAL BIOLÓGICO

O acervo da CCFF é continuamente expandido através de depósitos de cepas de fungos filamentosos, isolados de diversos substratos e regiões geográficas, em sua maioria, provenientes de projetos de pesquisa e atividades biotecnológicas.

A solicitação de depósito deverá ser feita mediante o preenchimento, assinatura e envio do Formulário para solicitação de autenticação e depósito de material biológico, que pode ser obtido através do e-mail .

Todos os depósitos serão formalizados somente após a autenticação da cultura por análises macro e micromorfólogicas. Amostras enviadas em desacordo com as orientações previamente informadas ao solicitante, terão sua solicitação cancelada automaticamente. As amostras reprovadas estarão disponíveis para serem retiradas na CCFF (responsabilidades e custos por conta do solicitante). Caso o mesmo não tenha interesse em retomar a amostra ou não se pronuncie no prazo de 30 dias corridos, após ser comunicado da conclusão do serviço, a amostra será destruída.

As culturas enviadas para depósito deverão ser transportadas obedecendo às normas legais vigentes de transporte de material biológico, bem como as orientações fornecidas pela CCFF, através do e-mail . As cepas terão um prazo de 30 dias corridos para serem enviadas, após o contato autorizando o envio das mesmas. Ultrapassado este prazo, a solicitação será automaticamente cancelada.

Confirmadas a estabilidade e autenticação da cepa, a mesma será submetida a dois métodos de preservação, sendo pelo menos um deles de longo prazo. A amostra preservada receberá a seguinte codificação: Acrônimo IOC + ordem numérica de entrada na coleção.

A CCFF oferece três categorias de depósito que são formalizados mediante acordos prévios.

  • Depósito aberto (acervo de acesso público): A amostra passa a integrar a coleção por tempo indeterminado, estando sob a responsabilidade da coleção e com acesso público. Cabe a CCFF deliberar sobre a distribuição da amostra e a disponibilização dos dados associados a ela.
  • Depósito restrito (fornecido com autorização do depositante): Durante a vigência do período pactuado em contrato, a amostra só poderá ser cedida pela coleção, mediante autorização do depositante. O depositante pode solicitar a renovação do depósito por tempo acordado entre as partes, contudo, caso o depósito não seja renovado no prazo estabelecido, o material biológico passará a ser de responsabilidade da coleção, que poderá distribuí-lo sem consulta prévia ao depositante.
  • Depósito fechado (depósito confidencial): Estes depósitos são sigilosos e, tanto o material, como a informação associada, são processados e armazenados sob confidencialidade. O prazo de permanência da amostra nesta categoria, as condições para prorrogação e destino das amostras ao final do contrato deverão ser discutidas diretamente com a CCFF.

FORNECIMENTO DE MATERIAL BIOLÓGICO

A CCFF fornece cepas de diversas espécies de fungos filamentosos preservadas ou em material fixado em lâmina. A distribuição de cepas contempla instituições públicas ou privadas, sejam de pesquisa, serviços, ensino, indústrias ou demais entidades que demandem estes isolados. Todos os pedidos deverão justificar a utilização pretendida para o material e por razões legais, informamos que as linhagens não poderão ser enviadas para endereços particulares.

Todos os pedidos deverão ser formalizados através do preenchimento, assinatura e envio do Formulário para solicitação de cessão de material biológico e a Declaração de competência técnica, que podem ser obtidos através do e-mail .

O solicitante é responsável por providenciar e arcar com os custos do transporte das amostras doadas, bem como observar a legislação vigente para transporte de material biológico. A retirada das amostras estará condicionada a apresentação do GUIA DE REMESSA, que será remetido ao solicitante no momento que a retirada das amostras for autorizada.

Buscando ofertar cepas de qualidade, para o maior número possível de solicitantes, e considerando a existência de limitações orçamentárias e de infraestrutura, a CCFF disponibiliza anualmente apenas dez cepas por solicitante, fornecidas em uma única solicitação ou em múltiplas solicitações até que o total de dez cepas seja alcançado.

A possibilidade do fornecimento acima de dez cepas por ano, para um único solicitante, deverá ser justificada e poderá ser analisada pela curadoria, que de antemão destaca que cabe a mesma avaliar a elegibilidade dos casos extraordinários.

O acervo da CCFF pode ser consultado através dos catálogos virtuais disponíveis no menu catálogo dessa página e através do Sistema de Informação Distribuído para Coleções Biológicas (speciesLink).

IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAL BIOLÓGICO

A CCFF realiza a caracterização taxonômica de diversas espécies de fungos filamentosos, possibilitando a identificação dessas amostras. A principal metodologia de identificação utilizada atualmente é a taxonomia clássica, baseada nas características macro e micromorfológicas da cultura.

As análises genotípicas não fazem parte da rotina de identificação, até o momento. Estas serão usadas em casos específicos e que justifiquem os custos. Futuramente, tais análises farão parte da rotina, estabelecendo uma abordagem polifásica para identificação das amostras.

Todos os pedidos deverão ser formalizados através do preenchimento, assinatura e envio do Formulário para solicitação de identificação de material biológico, que pode ser obtido através do e-mail .

As culturas enviadas para identificação devem ser transportadas obedecendo às normas legais vigentes de transporte de material biológico, bem como as orientações fornecidas pela CCFF, através do e-mail . As cepas terão um prazo de 30 dias corridos para serem enviadas, após o contato autorizando o envio das mesmas. Ultrapassado este prazo, a solicitação será automaticamente cancelada.

Concluído o diagnóstico taxonômico, caso não haja interesse do solicitante e/ou da CCFF em realizar o depósito da amostra, a mesma estará disponível para retirada. O solicitante é responsável por providenciar e arcar com os custos do transporte para o retorno de sua amostra. Caso o mesmo não tenha interesse em retomar a amostra ou não se pronuncie no prazo de 30 dias corridos, após ser comunicado da conclusão do serviço, a amostra será destruída.

Caso seja de interesse mútuo, a mostra identificada será depositada após preenchimento do Formulário para Solicitação de autenticação e depósito de material biológico, excluindo-se a necessidade do processo de autenticação.

AUTENTICAÇÃO DE MATERIAL BIOLÓGICO

A CCFF realiza a autenticação de amostras (confirmação de identificação prévia). Este serviço poderá ser oferecido independente da solicitação de depósito. A principal metodologia de identificação, atualmente utilizada na coleção, é a taxonomia clássica, que se baseia na pesquisa de características fenotípicas.

Exceto pela necessidade de identificação prévia, de responsabilidade do solicitante, o serviço de autenticação segue as mesmas diretrizes do serviço de identificação.

Todos os pedidos deverão ser formalizados através do preenchimento, assinatura e envio do Formulário para solicitação de autenticação de material biológico, que pode ser obtido através do e-mail .

ISOLAMENTO E IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAL BIOLÓGICO

A CCFF realiza o isolamento de fungos a partir de substratos previamente coletados pelos solicitantes. Após o isolamento do fungo, será feita a caracterização taxonômica, de modo a possibilitar a identificação da(s) amostra(s). Estes serviços podem ser oferecidos independentes da solicitação de depósito. A principal metodologia de identificação utilizada atualmente na CCFF é a taxonomia clássica, baseada nas características macro e micromorfológicas da amostra. As análises genotípicas não fazem parte da rotina de identificação, até o momento. Estas serão usadas em casos específicos e que justifiquem os custos. Futuramente tal análise, fará parte da rotina de identificação, estabelecendo uma abordagem polifásica para identificação das amostras.

As culturas enviadas para identificação devem ser transportadas obedecendo às normas legais vigentes de transporte de material biológico, bem como as orientações dadas pela CCFF, através do e-mail . As cepas terão um prazo de 30 dias corridos para serem enviadas, após o contato autorizando o envio das mesmas. Ultrapassado este prazo, a solicitação será automaticamente cancelada.

Todos os pedidos deverão ser formalizados através do preenchimento, assinatura e envio do Formulário para solicitação de isolamento e identificação de material biológico, que pode ser obtido através do e-mail .

Concluído o diagnóstico taxonômico, caso não haja interesse do solicitante e/ou da CCFF em realizar o depósito da amostra, a mesma estará disponível para retirada. O solicitante é responsável por providenciar e arcar com os custos do transporte para o retorno de sua amostra. Caso o mesmo não tenha interesse em retomar a amostra ou não se pronuncie no prazo de 30 dias corridos, após ser comunicado da conclusão do serviço, a amostra será destruída.

Caso seja de interesse mútuo, a amostra identificada será depositada após preenchimento do Formulário para Solicitação de autenticação e depósito de material biológico, excluindo-se a necessidade do processo de autenticação.

CONSULTORIA E COLETA DE MATERIAL BIOLÓGICO

A prestação do serviço de consultoria pode estar associada à execução de visitas técnicas, coletas e emissão de resultados simples (descritivos) ou resultados ampliados (com apreciação de normas de referência da análise em questão).

A CCFF realiza coletas de material biológico, segundo diferentes metodologias, que se adequam ao substrato que será coletado, bem como suas especificidades e objetivos da análise. Após a coleta do substrato, o mesmo será submetido a metodologias que permitam o isolamento de colônias fúngicas, que serão posteriormente quantificadas e/ou identificadas.

Para a solicitação de qualquer um destes serviços é necessário o preenchimento, assinatura e envio do Formulário para solicitação de consultoria e coleta de material biológico e o Formulário para solicitação de isolamento e identificação de material biológico, que podem ser obtidos através do e-mail .

TREINAMENTO DE RECURSOS HUMANOS

A CCFF disponibiliza treinamento especializado de recursos humanos atendendo a demanda de instituições de pesquisa e ensino ou setores da indústria. O treinamento abrange aspectos básicos da caracterização taxonômica clássica e molecular e manutenção e preservação de fungos filamentosos.

As solicitações deverão ser formalizadas através do preenchimento, assinatura e envio do Formulário para solicitação de treinamento de recursos humanos, que pode ser obtido através do e-mail .



© 2019 Coleção de Culturas de Fungos Filamentosos, Instituto Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz